07 agosto 2006

Anima Mundi 2006

Anima Mundi 2006 -
14º Festival Internacional de Animação do Brasil (Parte 2)


Bill Plympton cede a imagem do cão de
seu Guide Dog para a promoção do evento

Curtas 7

Bid'em In (Neal Sopata, EUA, 03) 0 [0]
Yansan (Carlos Eduardo Nogueira, Brasil, 06) [63]
Opera (Ondrej Rudavsky, Eslováquia, 05) 0 [0]
Le Moulin (Florian Thouret, França 05) [50]
La Memoria dei Cani (Simone Massi, Itália, 06) 0 [4]
Walkampf (Andreas Hykade, Alemanha, 04) [67]
Careful (Damian Gascoign, RU, 05) 0 [10]
Citoplasmas en Medio Ácido (Iborra, Gautier, Puertas, Espanha, 04) [48]

Disparadamente a pior sessão que conferi. Conta apenas com dois curtas que me agradaram: Yansan, um curta brasileiro sobre o amor de duas pessoas completamente imorais e sem senso algum de decência - talvez o positivamente mais experimental visto, e o que foge mais dos padrões comuns. E Walkampf, um adorável clipe musical da banda punk (??) alemã Die Toten Hosen, sobre uma baleia encalhada. A música é divertida, mas realmente não vejo nada de punk nela. Talvez o suposto "punk" atual.

Bid'Em In é algo sem sentido, de mal gosto e sem propósito. Opera é algo grosseiro, cantores que durante sua atividade operística lançam raios e coisas pela boca. La Memoria dei Cani é tão ruim que já esqueci o que ocorre nele. E Citoplama en Medio Ácido faz parte da série de comédias-engraçadinhas-baseados-somente-em-gags-que-é-idolatrado-apenas-por-isso. Outras que fazem parte disso é Guide Dog e Minuscule.

Perdido o curta Dehors Novembre.

Curtas 9

Declaration in Love (Dmitri Geller, Rússia, 06) [20]
Prime Time (Tom Dor, Israel, 06) [56]
Rabbit (Run Wrake, RU, 05) 0 [5]
Le Bouillon (Anne-Laure Totaro, França, 05) [30]
Minuscule (Thomas Szabo, França, 06) [48]

Uma pena não ter conseguido ver The Meaning of Life. Sobrou-me um monte de baboseira. Declaration in Love é um insulto a Luis Buñuel, fala-o por dedicarem a ele essa monstruosidade. Prime Time é bobo, mas engraçado. E muitos menos pretensioso que os filmes da série comédias-engraçadinhas... As diversas situações que uma TV imposta na idade das cavernas pode induzir. Rabbit é algo inexplicável. Até que ponto o ser humano é capaz? Criar algo que esteticamente se assemelhe a um jogo de computador da era do 386, de características infantis e fazer uma fábula mórbida e escatológica, imprimindo a um ídolo poderes mágicos e mentalidade macabra, é algo que só alguém dotado de muito mal gosto é capaz de conceber e apreciar.

Perdido os curtas The Meaning of Life - o que queria mais ver - e La Genie de la Boîte de Raviolis.

Curtas 12

The Girl Who Did Things She Didn't Like to do first (Maki Yoshikura, RU, 06) [75]
Zlydni (Stepan Koval, Ucrânia, 05) [47]
Úton (Zsuzsanna Paal, Hungria, 05) [32]
Gargoyle (Michael Cusack, Austrália, 06) [83]
Bonsoir Mister Chu (Stéphanie Lansaque e François Leroy, França, 05) 0 [3]
Cherno na Byalo (Andrey Tsvetkov, Bulgária, 05) [41]
First Flight (Cameron Hood e Kyle Jefferson, EUA, 06) [87]

A melhor das 5 sessões de curtas vista. First Flight é algo que não vejo a DreamWorks Animation fazendo há um bom tempo. Algo que realmente se encaixa para todas idades, espirituoso e gracioso. Diferentemente dos últimos longas, procura num passarinho e num homem metódico de vida patética uma relação de coperação. Ele ajudando o passarinho a voar. Gargoyle é um dos curtas mais poéticos que vi, a relação entre uma aristocrata e seu falecido marido. Aproxima-se bastante da estética Romântica gótica, com todo seu misticismo. The Girl Who Did Things She Didn't Like to do first é algo curioso e bizarro. Uma garotinha que faz tudo que não gosta de fazer primeiro para logo se livrar dessas coisas. A morte iminente do coelhinho da classe faz com que ela filosofe sobre a vida e chegue a uma conclusão.
Imagem: First Flight

0 Comentário(s):

Postar um comentário

<< Voltar