22 fevereiro 2006

Lista dos Filmes lançados em 2005

Enquanto não termino o próximo texto, posto a lista de todos os filmes por mim vistos que tiveram lançamento comercial nos cinemas do Brasil em 2005. Em ordem.

[espaço de imagens, mas graças à falha do Blogger, e à minha preguiça de fazer tudo de novo, ficará assim]

  1. Menina de Ouro (Million Dollar Baby, 04) [96]
  2. Reis e Rainha (Rois et Reine, 04) [95]
  3. A Queda! As Últimas Horas de Hitler (Der Utergang, 04) [92]
  4. Old Boy (Oldboy, 03) [91]
  5. Closer – Perto Demais (Closer, 04) [90]
  6. O Cachorro (El Perro, 04) [90]
  7. A Fantástica Fábrica de Chocolates (Charlie and the Chocolate Factory, 05) [89]
  8. O Castelo Animado (Hauru no Ugako Shiro, 04) [88]
  9. Star Wars: Episódio III – A Vinganças dos Sith (Star Wars: Episode III - Revenge of the Sith, 05) [88]
  10. Sideways – Entre Umas e Outras (Sideways, 04) [87]
  11. Um Filme Falado (Idem, 03) [86]
  12. Água Negra (Dark Water, 05) [85]
  13. Querida Wendy (Dear Wendy, 05) [85]
  14. Herói (Hero, 02) [85]
  15. Mar Adentro (Idem, 04) [85]
  16. O Fantasma da Ópera (The Phantom of the Opera, 04) [85]
  17. Jogos Mortais (Saw, 04) [85]
  18. O Virgem de 40 Anos (The 40 Year Old Virgin, 05) [85]
  19. Manderlay (Idem, 05) [85]
  20. 9 Canções (9 Songs, 04) [84]
  21. King Kong (Idem, 05) [83]
  22. O Jardineiro Fiel (The Constant gardener, 05) [83]
  23. As Crônicas de Nárnia: O Leão, A Feiticeira e O Guarda-Roupa (The chronicles of Narnia: The Lion, The Witch and the Wardrobe, 05) [83]
  24. Doutores da Alegria (Idem, 05) [81]
  25. Cinema, Aspirinas e Urubus (Idem, 05) [80]
  26. Mistérios da Carne (Mysterious Skin, 04) [80]
  27. A Chave Mestra (The Skeleton Key, 05) [80]
  28. A Vida Secreta dos Dentistas (The Secret Lives of the Dentists, 03) [80]
  29. Em Busca da Terra do Nunca (Finding Neverland, 04) [80]
  30. Hotel Ruanda (Hotel Rwanda, 04) [79]
  31. Quatro Amigas e um Jeans Viajante (The sisterhood of the Travelling Pants, 05) [79]
  32. Harry Potter e o Cálice de Fogo (Harry Potter and the Goblet of Fire, 05) [78]
  33. O Clã das Adagas Voadoras (The house of the Flying Daggers, 04) [77]
  34. Casa Vazia (Bin Jip, 04) [77]
  35. O Lenhador (The Woodsman, 04) [77]
  36. Tudo Acontece em Elizabethtown (Elizabethtown, 05) [77]
  37. Os Produtores (The Producers, 05) [76]
  38. Em Boa Companhia (In Good Company, 04) [76]
  39. O Casamento de Romeu e Julieta (Idem, 05) [75]
  40. A Vida Marinha com Steve Zissou (The Life Aquatic with steve Zissou, 04) [74]
  41. Clean (Clean, 04) [73]
  42. A Noiva Cadáver (The Corpse Bride, 05) [73]
  43. Terra dos Mortos (Land of the Dead, 05) [73]
  44. O Fim e o Princípio (Idem, 05) [73]
  45. Uma Vida Iluminada (Everything is Illuminated, 05) [72]
  46. Wallace e Gromit: A Batalha dos Vegetais (Wallace & Gromit: The Curse of the were-Rabbit, 05) [72]
  47. Amor em Jogo (Fever Pitch, 05) [72]
  48. Sobre Cafés e Cigarros (Coffe and Cigarettes, 03) [71]
  49. Em Seu Lugar (In Her Shoes, 05) [71]
  50. Mondovino (Idem, 04) [70]
  51. Batman Begins (Idem, 05) [70]
  52. Machuca (Idem, 04) [70]
  53. O Senhor das Armas (Lord of War, 05) [69]
  54. Kung Fusão (Gong Fu, 05) [69]
  55. Quase Dois Irmãos (Idem, 05) [68]
  56. Jogos Mortais II (Saw II, 05) [68]
  57. Hora de Voltar (Garden state, 04) [68]
  58. Caiu do Céu (Millions, 04) [68]
  59. Ray (Ray, 04) [66]
  60. Apenas um Beijo (Ae Fond Kiss, 04) [66]
  61. Vlado – 30 Anos Depois (Idem, 05) [66]
  62. Ninguém Pode Saber (Nobody Knows, 04) [65]
  63. Flores Partidas (Broken Flowers, 05) [65]
  64. O Aviador (The Aviator, 04) [65]
  65. Eterno Amor (A Very Long Engagement, 04) [64]
  66. Desventuras em Série (Lemony Snicket's Unfortunable Events Series, 04) [63]
  67. Sin City – A Cidade do Pecado (Sin City, 05) [62]
  68. Entrando Numa Fria Maior Ainda (Meet the Fockers, 05) [62]
  69. Camelos Também Choram (The story of the weeping Camel, 04) [62]
  70. A Feiticeira (Bewitched, 05) [60]
  71. Casa de Areia (Idem, 05) [60]
  72. O Filho de Chucky (Seed of Chucky, 04) [60]
  73. O Mundo de Jack e Rose (The Ballad of Jack and Rose, 05) [59]
  74. Crash – No Limite (Crash, 05) [58]
  75. Penetras Bons de Bico (Wedding Crashers, 05) [58]
  76. Madagascar (Idem, 05) [57]
  77. Filhas do Vento (Idem, 05) [57]
  78. 2 Filhos de Francisco (Idem, 05) [57]
  79. O Cárcere e a Rua (Idem, 05) [56]
  80. A Luta Pela Esperança (Cinderella Man, 05) [56]
  81. Um Dia Sem Mexicanos (A Day Without Mexican, 04) [55]
  82. Robôs (Robots, 05) [55]
  83. Provocação (The Door in the Floor, 04) [54]
  84. Oliver Twist (Idem, 05) [54]
  85. Alexandre (Alexander, 04) [54]
  86. Querido Frankie (Dear Frankie, 04) [53]
  87. Marcas da Violência (A history of Violence, 05) [52]
  88. Nicotina (Idem, 03) [52]
  89. Constantine (Idem, 05) [50]
  90. A Ilha (The Island, 05) [50]
  91. A Menina Santa (La Niña Santa, 04) [46]
  92. O Segredo de Vera Drake (Vera Drake, 04) [45]
  93. Palavras de Amor (Bee Season, 05) [45]
  94. Vôo Noturno (Red eye, 05) [44]
  95. O Guia do Mochileiro das Galáxias (The Hitchhiker's..., 05) [44]
  96. ContraCorrente (Undertow, 05) [44]
  97. Aprendendo a Mentir (Learning to Lie, 04) [43]
  98. O Chamado 2 (The Ring Two, 05) [42]
  99. A Passagem (Stay, 05) [40]
  100. Guerra dos Mundos (The war of the Worlds, 05) [40]
  101. A Intérprete (The Interpreter, 05) [39]
  102. Maria Cheia de Graça (Maria Full of Grace, 04) [38]
  103. Melinda e Melinda (Melinda and Melinda, 04) [30]
  104. O Amigo Oculto (Hide and Seek, 05) [29]
  105. Tão Distante (Distance, 01) [27]
  106. O Sétimo Dia (El Séptimo Dia, 04) [26]
  107. Reencarnação (Birth, 04) [26]
  108. Tentação (We Don't Live Here Anymore, 04) [25]
  109. O Galinho Chicken Little (Chicken Little, 05) [22]
  110. Amor Para Sempre (Enduring Love, 04) [12]
  111. O Grito (The Grudge, 04) [0]

17 fevereiro 2006

Ponto Final

Ponto Final (Match Point, 05)

Pode-se definir Ponto Final - que ridiculamente recebeu o subtítulo Match Point - em duas palavras: ironia sutil. É incrível como o ar britânico de sua nova morada mudou o clima de seu filme - pelo menos em relação aos que vi dele -, deixando de lado aquele clima cômico, encabeçado por uma neurose aguda e um sentimento quase filosófico sobre relacionamentos. Ponto Final é diferente, é Allen, mas é diferente. Muito mais comedido, muito mais sutil, e creio que é toda essa sutileza que faz de Ponto Final uma grande surpresa. Allen sabe muito bem o que está fazendo, com uma breve anedota sobre a sorte ele abre o filme. Uma mera inserção da superstição num jogo de tênis, e como um simples momento de sorte ou azar seu jogo pode ser decidido. A vida para Woody Allen seria assim, formada por acasos. Momentos desconexos que numa lógica poderiam surtir um efeito. Não é destino, é simplesmente sorte.
Allen é um cara fora do comum. Ele é um homem bem bizarro. Deixando de lado toda história da vida dele que envolve escândalos sexuais - vai entender como aquele homenzinho consegue tanta mulher -, e levando em conta sua filmografia, vemos um homem que prestigia a comédia de humor negro. Certo que Allen já saturou bastante seus personagens - homens neuróticos à margem de relacionamentos conturbados e sem rumo algum -, e é por isso que ele acertou fugindo do esteriótipo que se tornou. Não só em suas aparições na frente da tela, mas na formação das personagens. Ponto Final é diferente, as personagens são mais distintas e mais sólidas, e é uma presunção deliciosa que constrói o drama/suspense na intragada vida deles.
Partindo de uma premissa fantástica - homem se casa com uma mulher da alta sociedade britânica, mas seus libidos não se contentam apenas com ela buscando uma paixão avassaladora na namorada de seu cunhado, tornando-se extremaente obsessivo esse relacionamento por parte dela, fazendo com que ele reavile seus valores -, e de um trailer espetacular, Ponto Final regojiza-se com um ritmo calmo e com uma simplicidade assustadora, de modo contrastante à intensidade, aplicada tanto no plano romântico, quanto no suspense propriamente dito.
Muito especulou-se sobre a semelhança com Crimes e Pecados, dele mesmo. Apenas as tramas parecem-se, a maneira de Allen construir tais mundos é completamente diferente. O mundo britânico apodera-se de um Woody quase apagado, cravado nas esquinas, para contar uma fábula. Ponto Final é uma fábula e essa é a conclusão do texto, meio precipitada aliás. Sem maniqueísmos, é uma história de um ser humano levado ao seu extremo - ou seria ao seu limite? -, que sem saber exatamente o que fazer age por impulso, sem escrúpulos, tentando se livrar de seus problemas. O clima de suspense a partir desse momento é instigante e soberbo, a cada revelação seu coração bate mais forte, e os momentos cômicos abrandam esse clima. E o que ele soube construir bem nesse filme é exatamente esse jogo com o espectador. Ele vai criando um cenário diferente a cada revelação, e desmentindo tudo numa piada carregada de ironia. A ironia da vida.

Talvez o mais belo não seja a poesia que se cria no esplendor do acaso, da futilidade da vida, da bola caindo, talvez o mais belo seja o romance nascido por duas pessoas decididas. E não só isso, provavelmente o mais instigante esteja na própria conquista daquela paixão ensurdecedora - para eles sem precedentes -, que causa no impacto, um desejo avassalador, ao primeiro olhar, e na sedução austera e elegante, o momento máximo de prazer ao se conhecerem num simples jogo de ping-pong. A partir daí nasce um instrínseco jogo de sedução, carnal e emocional, levado a proporções magnânimas em segundos, e relegado a nada neles próximos. Ambos quererm, Chris aparentemente mais que Nola, na verdade apenas no demonstrado. Quererm e no acaso do destino conseguem, mas ela havia sumido, e agora ressurgira, como se nunca houvesse existido. A psicose dos momentos subsequentes é fruto de um amor proibido, levado a incrédula pureza da monogamia. Quando você deixa de ser o traidor, tais cirunstâncias apagam-se do seu espectro e sua alma benevolente acata a singeleza de que vocês são feitos uns para os outros e somente vocês existem um para o outro. (explosão)
Falou-se tão mal do garoto Johnathan Rys-Meyers pela sua atuação como protagonista. Vãs detratores que não perceberam o quão bem se encaixa o rapaz no perfil do sujeito Chris, a quem uma vida cheia de culpa é mero obstáculo para uma vida cheia de riquezas. Bem intencionado quando lhe convém, faz o papel de um tipo sórdido, carregando o deleite por uma atração boba - pelo dinheiro? pelo luxo? - e uma paixão descomunal. O que vale mais? Rys-Meyers é uma surpresa agradável no elenco - excepcional todo ele -, trazendo uma compostura britânica no limite do clássico.
Obviamente quem rouba a cena é Scarlett Johansson. Nunca a achei uma atriz excepcional ou portadora de uma beleza estonteante. Ponto Final é o filme para quebrar qualquer essa impressão anterior que tive da moça. Meio artificial no começo, magnânima do meio para o fim. Mais sensual impossível, sejam nos diálogos, seja na expressão facial e corporal. O descontrole emocional da personagem transparece em cada ato, em cada sibilar, em cada alteração de voz... A prontidão de uma louca, a caracterização de um sofredora, a razão de uma esperançosa.
Eu sinceramente nem comento mais sua performance, ou o roteiro, porque esse diálogo diz tudo:

Nola Rice: You're going to do very well for yourself, unless you blow it.
Christopher Wilton: And how am I going to blow it?
Nola Rice: By making a pass at me.
Christopher Wilton: So you are aware of your affect on men?
Nola Rice: They think I'd be something very special.
Christopher Wilton: And are you?
Nola Rice: No one's ever asked for they're money back.
Nem comento também as injustiças do Oscar, deixando tal magistral filme fora de Filme, direção, atriz coadjuvante, montagem, fotografia, trilha sonora...
Woody Allen conquistou meu coração. E bem provável que o #1 nesse ano. Num roteiro sem rodeios, e numa clemência a vida.
A vida é uma ilusão, e o tempo passa, passa...
Indicaçõesao Oscar 2006: Melhor Roteiro Original
Nota: 98/100
Escutando: CD (OST American Graffiti - Vários); Música (Casta Diva, from the Opera Norma - Angela Gheroghiu)
A Descobrir
Viajem à Lua (Le Voyage dans la lune, 1902) - Méliès em seu apogeu. O lúdico na formação do cinema. A sensação de fantasia nascendo. Os reflexos do neocolonialismo. O homem pisando na lua 67 anos antes do real. O olho da lua sendo atinigo pela nave impulsionada por um canhão (antológico). Um curta metragem que definiu o que viria ser a ficção científica, repleta de um humor circense. Humanos destruindo selenitas. A viagem pelo mundo do cinema, ainda a ser descoberto. [em desenvolvimento]

14 fevereiro 2006

Alfred 2006: Meus votos e vencedores

Ontem ocorreu a 3ª edição do Alfred, prêmio da Liga dos Blogues Cinematográficos aos melhores filmes que estrearam no ano passado em solo brasileiro.

Legenda: Vencedores; Meus votos*

filme do ano

O Aviador (Martin Scorsese)
Um Filme Falado (Manoel de Oliveira)
Marcas da Violência (David Cronenberg)
Menina de Ouro (Clint Eastwood)*
Oldboy (Chanwook Park)

direção

Clint Eastwood (Menina de Ouro)*
David Cronenberg (Marcas da Violência)
Lucrecia Martel (A Menina Santa)
Manoel de Oliveira (Um Filme Falado)
Martin Scorsese (O Aviador)

ator

Bruno Ganz (A Queda!)*
Jamie Foxx (Ray)
Javier Bardem (Mar Adentro)
Leonardo Di Caprio (O Aviador)
Mickey Rourke (Sin City)

atriz

Emmanuelle Devos (Reis e Rainha)*
Hillary Swank (Menina de Ouro)
Maggie Cheung (Clean)
Naomi Watts (King Kong)
Natalie Portman (Closer)

ator coadjuvante

Ed Harris (Marcas da Violência)
Morgan Freeman (Menina de Ouro)
Nick Nolte (Clean)
William Hurt (Marcas da Violência)
Thomas Haden Church (Sideways)*

atriz coadjuvante

Cate Blanchett (O Aviador)
Mabel Rivera (Mar Adentro)
Maria Bello (Marcas da Violência)
Rachel Weisz (O Jardineiro Fiel)*

Virgina Madsen (Sideways)

roteiro original


O Aviador
Um Filme Falado
Reis e Rainha*
Terra dos Mortos
A Vida Marinha com Steve Zissou

roteiro adaptado

Closer
O Jardineiro Fiel
Marcas da Violência
Menina de Ouro
Oldboy*

elenco

O Aviador
Closer*
Marcas da Violência
Sin City
A Vida Marinha com Steve Zissou

cena do ano

Um Filme Falado - o choque do capitão
Marcas da Violência - a mesa do jantar
Menina de Ouro - "Mo chuisle means my darling"*
Terra dos Mortos - os zumbis saem da água
A Vida Marinha com Steve Zissou - o tubarão-jaguar

filme brasileiro

Bens Confiscados (Carlos Reichenbach)
Cabra-Cega (Toni Venturi)
Cidade Baixa (Sérgio Machado)
Cinema, Aspirina & Urubus (Marcelo Gomes)*
2 Filhos de Francisco (Breno Silveira)

filme de estréia

Cinema, Aspirina & Urubus (Marcelo Gomes)*
2 Filhos de Francisco (Breno Silveira)
Hora de Voltar (Zach Braff)
O Lenhador (Nicole Kassell)
Maria Cheia de Graça (Joshua Marston)

fotografia

O Aviador
Cinema, Aspirina & Urubus
O Clã das Adagas Voadoras*
O Jardineiro Fiel
Sin City

montagem

O Aviador
O Jardineiro Fiel
Oldboy*
Reis e Rainha

Sin City

direção de arte

O Aviador
O Clã das Adagas Voadoras
A Fantástica Fábrica de Chocolate*
King Kong
A Vida Marinha com Steve Zissou

figurinos

O Aviador
O Clã das Adagas Voadoras
Desventuras em Série
A Fantástica Fábrica de Chocolate*
King Kong

maquiagem

Desventuras em Série*
A Fantástica Fábrica de Chocolate
Mar Adentro
Sin City
Terra dos Mortos

música

O Aviador
A Fantástica Fábrica de Chocolate
Menina de Ouro*
Reencarnação
A Vida Marinha com Steve Zissou

disco

A Fantástica Fábrica de Chocolate
Hora de Voltar*
Ray
Tudo Acontece em Elizabethtown
A Vida Marinha com Steve Zissou

canção

"Sekai no Yakusoku" - O Castelo Animado*
"In the Deep" - Crash
"Wonka's Welcome Song" - A Fantástica Fábrica de Chocolate
"So Long & Thanks for All the Fish" - O Guia do Mochileiro das Galáxias
"Remains of the Day" - A Noiva-Cadáver

sonoplastia

O Aviador
Guerra dos Mundos
King Kong*
Sin City
Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith

efeitos visuais

O Aviador
Guerra dos Mundos
King Kong*
Sin City
Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith

pior filme

Alexandre (Oliver Stone)
O Amigo Oculto (John Polson)
Crash (Paul Haggis)
O Grito (Takashi Shimizu)*
A Ilha (Michael Bay)

10 fevereiro 2006

Munique

Munique (Munich, 05)



A indicação de Munique ao Oscar em melhor filme (as outras - direção, roteiro, edição, trilha - eram esperadas) não me surpreendeu nem um pouco. Semprei apostei no filme, mesmo com a indiferença dos Guilds e do Globo de Ouro, e até mesmo da crítica americana, simplesmente porque é um trabalho sério de Spielberg, e de excelente qualidade - diferentemente de Amistad, que é apenas bom. A abordagem do filme de Spielberg mudou, mais maduro, mais crítico, mais frio, mais imparcial. Ele não dita as regras; o tom documental em muitas cenas remete-o ao cargo de observador. Spielberg está lá como mero espectador diante das imagens fortes, e dos fatos, aqueles que não se podem entender completamente, nunca. A questão política dita o filme, mas não apenas essa, é muito mai, é a questão do homem levado a um ponto extremado, sem saber aonde vai pisar. Munique trata muito mais do que a sucessão de eventos após o atentado em Munique, 1972. Trata de pessoas.
Mesmo com a tomada crua dos acontecimentos, o semi-documental - nas lembranças de Avner, em seus sonhos, sobre a maneira em que todo o terror foi conduzido, na análise fria da crueldade humana... -, Spielberg está lá. O paternalismo encontra-se lá, mas de maneira muito mais comedida, sem extravasar sentimentos. Spielberg sem paternalismo não é Spielberg. O fato de Avner, mesmo deixando a família por uma causa, não faz com que ele a abondone. Faz com que ele dê mais valor a ela, e em diversas cenas vê-se o quanto ela é importante para ele. A melhor cena do filme para mim é um momento de epifania de Avner, uma explosão saudosista e paternal - a primeira vez que ele escuta a voz da filha pelo telefone e tem uma crise de choro. A sensibilidade dessa cena é extrema, e o choque que causa depois de uma recepção tão fria, e de situações tão difíceis e clautrofóbicas das personagens, revela que ele é apenas humano, repleto de falhas.
Munique é mais um exercício do chamado cinema sério de Spielberg, deixando de lado o mundo da fantasia para tratar de fatos históricos. Sempre presentes nele existem o patriotismo e a luta pela causa. A Lista de Schindler, O Resgate do Soldado Ryan, e agora Munique são seus melhores exemplos. Talvez esse aspecto seja superior no último por ser imparcial. A briga travada entre palestinos e judeus vêm desde antes da criação de Israel, e vêm angariando aliados desde a criação da ONU. Os palestinos são o maior povo apátrida do mundo, e fazem questão de ter o território israelense de volta. Os judeus dizem que aquela é a terra sagrada e que pertencia a eles. E a razão de ambos está presente, vide a conversa de Avner com o palestino. E estão lá, lutando por uma causa, em razão do patriotismo - também presentes na obra do cineasta. Porém esta causa e esse patriotismo são inspirados pela vingança, um sentimento de ódio, cheio de deseperança. Algo sombrio e muitas vezes desumano - a luta pela sobrevivência, o assassinato do comparsa espiritual. A tensão prevalece durante o filme ao lado da paranóia. A questão da incerteza, tudo acontecendo sem precedentes, não se sabe o que fazer, o que temer...

Acima eu falei que o filme trata de pessoas. Pessoas que lutam pela pátria, mas na realidade não existe uma pátria. Eles não existem. Quem são aqueles homens? São pessoas mandadas por um governo? Por Israel? Pelo Mossad? Ou eles estão por livre arbítrio? E tudo isso para que? Para excercer a vingança e trazer mais terrorismo ao mundo. Terrorismo tem ou não nação? A crítica que Spielberg faz ao atendado às torres gêmeas, e à própria Era Bush, está presente na última cena. E vê-se isso após as terríveis conseqüências da ação de Avner e companhia. Vale a pena se vingar de uma nação por terrorismo? Isso leva a algo? Mudou muita coisa com a ação de Avner? Ou só piorou por ter entrado pessoas mais reacionárias nos lugares dos antecessores? Aparentemente nada mudou, erro, piorou. 11/09/01 prova isso. O terrorismo está mais pesado, mais amplo, mais apátrida. Nem todos terroristas são como Avner que se importam em matar civis que não aqueles programados.

Eric Bana finalmente deixou para trás a mediocridade de Hulk, e cada vez mais melhora como ator. Sua paranóia, sua mania de perseguição e a verossimilhança disso é fantástica. E fantástico porque ele, como Avner, acaba se tornando fruto do filme. Com sua abordagem - e fotografia - cluastrofóbica e sufocante, dando margem a incerteza e a mania de perseguição. Não se pode confiar em nada e em ninguém. Seu melhor amigo pode ser aquilo que te trairá. A Bíblia já tratou disso.

Outras questões trabalhadas são a liberdade e a identidade. Quem são eles, certo? Um homem manufatura brinquedos, e na missão eles faz bombas. Eles não tem uma identidade própria, eles não fazem exatamente o que são designados. E a liberdade, eles a têm? Pode-se dizer que é fanatismo religioso? Ou não? Creio que não, a luta pelo ideal, ou pela causa, faz com que les não só percam a identidade, mas principalmente a liberdade. E Munique não é muito mais que um filme sobre quem perdeu sua liberdade.

Ciarán Hinds é outro que está ótimo. O melhor coadjuvante em cena. Ainda não gosto do novo 007, Daniel Craig. Desde Amor Para Sempre é um cara que me causa bastante desgosto. Geoffrey Rush pode ser melhor. E excelente ver Mathieu Almaric mais uma vez em uma atuação tão concentrada. Primeiro em Reis e Rainha e agora no novo de Spielberg. É um cara que realmente tem feito boas escolhas, e acima de tudo, atuado muito bem.

A fotografia meio acinzentada é fantástica. Fator utilitário para obra e contrução da tensão. O clima do filme se deve principalmente a ela. Um ultraje ter sido ignorada no Oscar. A trilha sonora de John Williams é muito boa, muito melhor ao menos que a de Memórias de uma Gueixa, dele mesmo.

Duvido que Capote seja melhor, dêem logo o terceiro Oscar para Spielberg e para seu filme. Junto com edição e roteiro adaptado - tenha minhas dúvidas a qual trilha prefiro.

Finalmente Spielberg fez algo genial novamente. Desde 2002 não dava 5 estrelas para o aclamado diretor, levando-se em conta que ele é o meu preferido. E mesmo os trechos um pouco cansativos são muito bons e não interferem muito.

Ah, e pasmem, Spielberg amadureceu tanto que em Munique não tem apenas cena de sexo normal, mas com uma grávida.

Indicações: filme, direção, roteiro adaptado, edição e trilha sonora.

Nota: 94/100

Escutando: CD (Plans - Death Cab for Cutie); Música (Who Loves the Sun - The Velvet Underground)

A Descobrir

A Dama de Honra (La Demoiselle d'honneur, 04) - O penúltimo filme de Claude Chabrol é fantástico. Uma comédia dramática carregada de ironia e um humor negro de primeira. É sutil e psicótico. O elenco é muito bom. A história é simples: homem que começa a namorar a dama de honra do casamento da irmã. Uma pena que um filme tão bom só estreou em uma sala de cinema aqui em São Paulo. Espero que quando cehgar em DVD todos tenham a oportunidade de assisti-lo. [87]

07 fevereiro 2006

Filmes vistos em Janeiro (2006)

legenda: revistos

  1. 2 Filhos de Francisco (Idem, 05) [57]
  2. Indiana Jones e o Templo da Perdição (Indiana Jones and the Temple of Doom, 84) [64]
  3. Mistérios da Carne (Mysterious Skin, 04) [80]
  4. Persona (Idem, 66) [77]
  5. Os Produtores (The Producers, 05) [75]
  6. A Passagem (Stay, 05) [40]
  7. Nosferatu, o Vampiro da Noite (Nosferatu: Phantom der Natch, 79) [89]
  8. Dois Córregos - Verdades Submersas no Tempo (Idem, 99) [100]
  9. A Vida de Brian (Life of Brian, 79) [76]
  10. The Heart of the World (Idem, 00) [48]
  11. Creature Conforts (Idem, 89) [60]
  12. Soldado Anônimo (Jarhead, 05) [88]
  13. Gêmeos - Mórbida Semelhança (Dead Ringers, 88) [67]
  14. À Meia Noite Levarei Sua Alma (Idem, 64) [62]
  15. Apenas um Beijo (Ae Fond Kiss..., 04) [66]
  16. Mulheres Perfeitas (The Stepford Wives, 04) [53]
  17. Amor à Flor da Pele (Fa Yeung Nin Wa, 00) [51]
  18. O Pescador de Ilusões (The Fisher King, 91) [84]
  19. O Anjo exterminador (El Ángel exterminador, 62) [100]
  20. Em Boa Companhia (In Good Company, 04) [76]
  21. Frankenweenie (Idem, 84) [70]
  22. O Estranho Mundo de Jack (The Nightmare Before Christmas, 93) [80]
  23. Se Eu Fosse Você (Idem, 06) [55]
  24. Clean (Clean, 04) [73]
  25. Primavera para Hitler (The Producers, 68) [50]
  26. Quatro Amigas e um Jeans Viajante (The Sisterhood of the Travelling Pants, 05) [79]
  27. 1984 (Nineteen Eighty-Four, 84) [54]
  28. As Grandes Aventuras de Pee-Wee (Pee Wee's Big Adventures, 85) [48]
  29. Alma Corsária (Idem, 93) [82]
  30. A Fantástica Fábrica de Chocolates (Willy Wonka and teh Chocolate Factory, 71) [88]
  31. American Graffiti - Loucuras de Verão (American Graffiti, 73) [59]
  32. A Marcha dos Pingüins (La Marche de L'empereur, 05) [68]
  33. Feios, Sujos e Malvados (Brutti Sporchi e Cattivi, 76) [64]
  34. Indiana Jones e a Última Cruzada (Indiana Jones and the Last Cruzade, 89) [92]
  35. Arquitetura da Destruição (Undergångens arkitektur, 92) [64]
  36. Mary Poppins (Idem, 64) [60]
  37. Tudo em Família (The Family Stone, 05) [67]
  38. Impulsividade (Thumbsucker, 05) [45]
  39. Tommy - O Filme (Tommy, 75) [47]
  40. As Loucuras de Dick e Jane (Fun with Dick and Jane, 05) [63]
  41. Fantasia (Idem, 40) [80]
  42. Era Uma Vez na América (Once Upon a Time in America, 84) [100]
  43. O Incrível Exército de Brancaleone (L'Armata Brancaleone, 66) [86]
  44. Meu Amigo Totoro (Tonari no Totoro, 88) [70]
  45. Ripper - Mensageiro do Inferno (Ripper, 01) [37]
  46. O Elevador Assassino (De Lift, 83) [14]
  47. O Sol de Cada Manhã (The Weather Man, 05) [71]
  48. Crime Delicado (Idem, 05) [63]
  49. Munique (Munich, 05) [94]
  50. Sindicato de Ladrões (On The Waterfront, 54) [86]
  51. Memórias de uma Gueixa (Memoirs of a Geisha, 05) [68]
  52. Ponto Final (Match Point, 05) [98]
  53. Orgulho e Preconceito (Pride and Prejudice, 05) [46]
  54. Anjos do Arrabalde - As Professoras (Idem, 87) [70]
  55. Por Um Punhado de Dólares (Per un Pugno di Dollari, 64) [81]
  56. Estamos Todos Bem (Stanno Tutti Bene, 90) [98]
  57. Os Girassóis da Rússia (I Girasoli, 70) [61]
  58. Porco Rosso - O Último Herói Romântico (Kurenai no Butai, 92) [88]
  59. O Discreto Charme da Burguesia (Le Chame Discret de la Bourgeoisie, 73) [80]
  60. Nós que Nos Amávmos Tanto (C'eravamo tanto amati, 74) [100]

Comentários: Acho que tentarei fazer essa sessão como um log, com o número exatos de filmes, para poder contabilizar no total. A média foi excelente, 2 filmes por dia. Só em férias mesmo. Indiana Jones é uma ótima série, bem que o segundo poderia ser bem melhor, mas o terceiro fecha com chave de ouro e com seu melhor episódio; Soldado Anônimo é fantástico, malditos detratores do filme; e depois de 2046, resolvi rever Amor à Flor da Pele, e devo dizer que subiu 51 pontos na minha cotação, infelizmente não o sufieciente para que eu goste dele; O Anjo Exterminador é a segunda obra-prima que vejo de Buñuel, e atesto: ele é um gênio; apesar do título horrendo e da promoção do filme como teen besta, o filme com a Joan [Joan of Arcadia], Quatro Amigas e um Jeans Viajante é muito bom, minucioso e sensível ao ponto; lição 1: nunca adaptem um álbum (ainda mais Tommy) para as telas; lição 2 e 3: nunca aluguem um filme por mais engraçado e divertido o título possa parecer, e nunca façam filmes de terror sobre qualuqer porcaria que apareça (camas, escrivaninhas, televisões, ELEVADORES...); eu já falei Giuseppe Tornatore é um dos meus diretores preferidos? os 4 filmes que vi do sujeito ganham de 85 para cima, dois deles estão no meu Top 20 [Cinema Paradiso e A Lenda do Pianista do Mar] e outro é uma das grandes surpresas do mês [Estamos Todos Bem, Mastroiani soberbo]; eu já falei Hayao Miyazaki é o maior gênio da animação atual? exceptuando o apenas bom Meu Amigo Totoro, todos os outros ganham de 88 para cima, e Porco Rosso é tão bom ou melhor que O Castelo Animado; eu finalmente vi um filmaço de Etore Scolla, depois dos bons mas decepcionante Concorrência Desleal e Feios, Sujos e Malvados, vi finalmente uma obra-prima, Nós que Nos Amávamos Tanto; lição 4: se for escolher uma comédia italiana satírica ou de humor negro, e se ainda estiver em dúvida entre Mario Monicelli [do ótimo O Incrível Exército de Brancaleone] e Etore Scolla, prefira o primeiro, e se não tiver opções, escolha sempre Monicelli; lição 5: Pee Wee Harman é o personagem mais chato que eu já vi na minha vida, dêem um tiro nele se tiverem a oportunidade.

A média do mês foi excelente: 70,23. Fazia tempo que não era tão boa.

Melhores:

  1. Era Uma Vez na América
  2. Dois Córregos - Verdades Submersas no Tempo
  3. Nós que Nos Amávamos Tanto
  4. O Anjo Exterminador
  5. Ponto Final
  6. Estamos Todos Bem
  7. Munique

Piores:

  1. O Elevador Assassino
  2. Ripper - Mensageiro do Inferno
  3. A Passagem
  4. Impulsividade
  5. Orgulho e Preconceito