30 janeiro 2006

Kill Bill vol. 1

Kill Bill Vol.1 (Idem, 2003)


Finalmente uns dos maiores diretores da década de 90 está de volta, Quentin Tarantino voltou com a corda toda em seu último Kill Bill Vol. 1. O filme além de ser uma grande homenagem aos filmes japoneses da década de 70, e a Sérgio Leone, é uma grande obra de arte. Um filme que eu achei tão bom quanto Pulp Fiction, e que se foosse constituído como um só sem dúvida seria melhor, e sua grande obra-prima. E com certeza arrebataria boa parte dos Oscars de O Senhor dos Anéis - O retorno do rei.

A genialidade de Tarantino transforma a história de vingança num esplendor nunca visto. Usando sempre de exageros e muito sangue, sendo uma violência estilizada, ou seja, não é muito
realístico.

Uma Thurman é A Noiva, perigosa assassina que no dia de seu casamento com o líder do grupo, Bill, sofre um ataque encomendado por ele e executado por suas antigas parceiras. Sobrevive, mas fica 5 anos em coma. Quando acorda, a única coisa que quer é vingança.

Este filme foi sem dúvida um dos melhores filmes de 2003, e o grande injustiçado no Oscar. Não só conta com a genialidade de Tarantino como também com excelente trilha sonora, cenas de lutas, interpretações e coisas absurdas (é o que não falta). É um filme que você sai do cinema querendo mais. E a cena de anime do filme bate quase tudo já produzido nesse gênero.

"A Vingança é um prato que se come frio."

Assistir este filme é um dever cívico de todo cinéfilo. E que venha Kill Bill Vol. 2, estarei aguardando ansiosamente.

Nota: 94/100

Postado orginalmente em 5/5/04.

0 Comentário(s):

Postar um comentário

<< Voltar